Pesquisar este blog

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Reveillon - Nasceu 2011

Eu tinha dúvidas sobre como seria o primeiro reveillon com minha pequena fora da barriga. Eu achava, antes de ser mãe, que bebê dormia e acordava na hora que a mamãe queria/precisava. Tive 6 meses e uns dias antes do término do ano pra descobrir que não, não é bem assim! É tudo bem diferente, como tinha de ser, é claro: bebê dorme e acorda quando tem vontade, simples assim. Ou não tão simples, afinal, como todas as outras coisas da vida de um bebê, ele está em fase de aprendizagem. E está aprendendo a dormir também.

Descoberta feita, percebei que seria "arriscado" querer ir para longe de casa num dia onde todas as pessoas esperam dar meia noite - bem tarde pra hora que minha bebê costuma dormir -, principalmente indo para um lugar onde não haveria um espaço para acomodá-la no caso do sono chegar (é assim na casa da minha mãe, onde provavelmente eu iria). "Arriscado" porque ela fica bem enjoadinha quando o sono bate. E esse bate as vezes quase parece literal de tanto que ela é capaz de chorar se não for "colocada" pra dormir.

Confesso que fiquei bem triste por saber que não ia estar junto de outras pessoas queridas nesse dia tão marcante, que tanto gosto de festejar. Cheguei a chorar até. Depois resolvi desencanar e planejar como seria esse dia e essa noite. Fazia questão que fosse especial, mesmo que simples. Íamos passar nós três, juntos, a virada de ano 2010/2011, a primeira da Isis fora da barriga. Íamos...

Acontece que, para nossa grata surpresa, minha cunhada, irmã mais velha do maridão, resolveu vir passar conosco o final de semana. Fiquei apreensiva por alguns minutos, pensando se tudo funcionaria legal , medo (ai, coisa crônica que me acompanha) de algo sair do controle no dia ohmeudeus, o que poderia sair do controle????). Mas essa apreensão durou pouco, muito pouco. Passei a acreditar que tudo seria perfeito, que tudo daria certo e seria lindo.

Dias antes do 31 de dezembro conversei muito com a minha pequena, explicando que quando ele, o 31, chegasse, seria um dia especial e diferente. O último dia do ano que ela nasceu. E que chegaria um ano novinho, mais novinho do que ela. Fui falando como seria legal conhecer a titia que mora longe, dizendo que nesse dia as pessoas ficam tão entusiasmadas que soltam fogos - todas ao mesmo tempo, à meia-noite. E eles fazem um barulhão, um "bum!" bem alto. Ela achava engraçado a minha onomatopeia e ria.

Dia 31 chegou, a titia também. Nós 4 jantamos (eu, a pequena, papai e a titia da pequena) - na verdade nós 3, Isis só olhava, ainda que abrindo a boquinha vez em quando e fazendo "a". Jantar gostoso, feito por mim com carinho. Minha pequena tranquila, muito tranquila. Fiquei espantada, minha pequena é muito apegada à sua hora de dormir, mas ela veio e foi-se sem que Isis se interessasse por ela. Parecia querer curtir a chegada da titia. Tudo bem, mas por via das dúvidas deixei tudo pronto para quando ela sentisse vontade de dormir.

Depois que jantamos e batemos um papo, meu irmão ligou. É, o pai da minha sobrinha linda. Disse que não sabia que estávamos em casa e que, nesse caso, estava(m) à caminho. Minutos depois chega a miss fofinha da titia com minha cunhada e irmão. Isis e a priminha brincaram muito! E cadê mesmo o sono da Isis? Adiado mais um pouquinho.

O clima em casa estava delicioso, conversa sendo jogada fora, animada. Crianças sorrindo, muita luz nas portas de todos os vizinhos. A hora passando e chegou meia noite, mas não na minha cidade, que não participa do horário de verão. A partir daí comecei a torcer para que a pequena conseguisse manter-se acordada, sorridente e serena como estava pra esperar o ano acabar.

O sono começou a pegar no pé dela, mas de mansinho. Minha bebê linda não ficou nervosa, agitada. Estava muito tranquila, parecia que previa que algo muito bom estava pra acontecer, e que merecia investir um pouco do seu descanso em favor desse momento. Agora faltava pouco pro novo ano chegar, uns 15 minutinhos. E cada vez menos.

Na porta de casa, esperávamos ele chegar. E ele chegou, 2011 chegou. Muito festejado, como todos os seus irmãos passados. Minha boneca ficou impressionada com o que via e ouvia. Fogos colorindo o céu e fazendo muito barulho. Ficou um pouco receosa, me olhou apreensiva, me apertou mais forte e eu dizia "são os fogos, filha, lembra? "bum!"". Ela esboçava um sorriso, mas faço ideia do quanto aquilo deve ter parecido grandioso pra ela. Porém, uma coisa é certa: ela percebeu a minha felicidade e também estava muito feliz!

Após o tilintar das taças, fui organizar o banho da pequena. O melhor da festa é esperar por ela, não é mesmo? A nossa foi mais que perfeita, muito mais do que eu podia imaginar! Mas era preciso ajudar a minha filhota a dormir, não abusar da sorte e nem deixá-la cansadinha demais. Fui rapidíssima preparando o banho, mas eis que para minha surpresa again, Isis já havia adormecido. Sim, dormiu sem ser embalada, sem mamar, sem chorar. Ela devia estar tão extasiada quando eu. Por isso dormiu lindamente no colinho do papai. Assim, "porquinha" mesmo, troquei sua roupinha e coloquei-a pra dormir. Uma noite linda e tranquila de sono, interrompida apenas por uma mamada - ela estava com fome, coitadinha. E pronto, lindo soninho, tranquilo, pacífico e cansado.

Aprendi algumas coisas com essa passagem de ano: que nem sempre é preciso planejar para que as coisas deem certo. Que as coisas mais maravilhosas da vida são as mais simples. Que quando pessoas que amamos estão do nosso lado qualquer momento é especial. Que felicidade e alegria são contagiantes.

Depois disso tudo, descobri que a palavra reveillon tem um significado muito lindo. Vem de um verbo francês (réveiller) que traduzido para o português quer dizer despertar. Foi exatamente isso que aconteceu comigo nessa passagem de ano: um despertar. Uma certeza tão grande e uma convicção tão forte de que tudo vai ser ainda mais feliz e dará tão, tão certo. Não tenho um óculos cor-de-rosa pra achar que não haverá dificuldades, eu sei que elas chegarão. Mas minha atitude diante delas é outra, já é outra, mudei!

O grande marco da mudança da minha vida chama-se Isis. Posso dividir a minha vida em antes e depois de ser mãe. Já há mais de um ano ela é presente em minha vida, há mais de 6 presencialmente e fora da barriga. Cada vez menos dependente fisicamente, mas cada dia mais apegada a mim e eu a ela. Chega a doer o amor que sinto, chega a me emocionar enquanto escrevo. Não é fácil, mas é tão bom, tão forte!

É, filha amada... descobri que minha virada de ano, meu reveillon, meu despertar... é você! Te amo profundamente! Feliz 2011 para nós!

5 comentários:

Camila disse...

VOCE E SUAS SABIAS PALAVRAS NÉ MOÇA...NAO TEM IDEIA DO QUANTO APRENDO COM VOCE A VER AS COISAS POR UM VIES MAIS SIMPLES COMO A VIDA É...

Maria C V S P disse...

Anne, q lindo seu post !! Especialmente qdo diz q aconteceu com vc um despertar !! Parabéns prá vc e prá Isis por isso !! Bjocas !!1

Felicidade disse...

Aiiii que lindaaa, não vejo a hora de sentir todo esse sentimento pela minha princesinha também, é tudo tão novo ainda...
Adorei tudoo que escreveu , realmente as coisas que não esperamos são as melhores,pois vem sem avisar!
Fica com DEUS e um feliz 2011 pra você e toda sua familia!

Fernanda disse...

Anne,
Achei tão lindo e tão merecido seu reveillon, me emocionei muito (sempre me emociono com o que vc escreve srsrs).Fiquei muito feliz com a serenidade que vc demonstrou estar presente na sua vida. Que seja sempre assim. Bjs

Liliane disse...

Ah! Dessa vez não fui a primeira, rs.
Como sempre, o seu texto é maravilhoso!
Bjokas