Pesquisar este blog

domingo, 16 de maio de 2010

Enquanto Espero

Quando você ainda não existia, eu sonhava contigo.
Desejava ter você aqui, no meu ventre, onde você está agora.
O meu amor por você modificou a minha vida desde antes de você existir.
Me livrei de muita coisa que não me servia.
Abri espaço no meu corpo, na minha casa e na minha alma pra te receber.
Na última primavera, então, você atendeu ao meu chamado e veio morar em mim.

A partir daí, mais sonhos e mais espera.
Sustos, ansiedade.
Superação.
Felicidade, imensa, transbordante, plenitude.

Tive muito medo no começo, quando estávamos aprendendo a viver juntas.
Medo de ficar sem você, de te perder.
Mas você foi crescendo, se afirmando, ficando forte.
O mesmo aconteceu comigo.

Agora está perto de sua chegada aqui, deste lado da vida.
Não é fácil, nem sempre é prazeroso.
Mas é tão lindo, tão lindo.
Filha, é bom viver.
O mundo não é perfeito, mas é bonito.

Amo ter você em meu ventre.
Você me faz sentir plena e perfeita.
Mas sei que também amarei ter você nos meus braços.
Sei que amarei ter você na minha casa e na minha alma, sempre.

Não sei a cor dos teus olhos, não sei qual o teu cheiro, não sei ainda tuas preferências.
Será que vai gostar de mim?
Será que me amará?
Eu assim, cheia de imperfeições, defeitos, insatisfações?
Será que eu saberei demonstrar o tamanho do sentimento que tenho por você?
Será que eu conseguirei passar a noite acordada pra te alimentar?
Será que eu conseguirei me afastar de você, ainda que seja só por um pouco de tempo?
Será que compreenderei o teu choro?
Será que conseguirei fazer outra coisa na vida além de te admirar?

O tempo passa e eu sonho.

Sonho com o teu nascimento, com a tua chegada.
Não, não quero que ela chegue logo, antes de você estar pronta.
Quero que você venha quando chegar o seu tempo.
Foi assim quando você veio morar no meu ventre: no seu tempo.
Eu saberei esperar, você me ensinará, afinal já me ensinou tanto.
Ah! Mas quando você chegar... quando você chegar, tenho certeza: será um dos momentos mais felizes da minha vida!

Sonho com o teu rosto, com teus bracinhos e pernas.
Sonho com teu cabelo.
E com lacinhos e vestidos.
E com teu banhos de balde, e massagens, e teu soninho perto de mim.
Sonho te alimentar e continuar por meses sendo tua fonte de vida.
Sonho com teu choro.
E sofro imaginando não saber como te consolar.
Sonho com teu sorriso.
E me emociono só em pensar que consegui gerar uma vida, junto com seu pai.
Fruto de um amor que era meu e dele, mas agora é seu também.
E você é a expressão viva deste relacionamento.

Sonho, mas sei que o sonho não é pra sempre.
Sei que sonho se realiza quando a gente busca.
Você é um sonho realizado que logo estará em meus braços.
O tempo passa, filha.
Você era um grãozinho, um girino, um peixinho.
Hoje você é um ser todo formado, com seu próprio sangue, seu coração, seu rosto, suas mãos e seus pés.

Você também tem a sua vontade e saberá expressá-la.
Sabe, menininha, isso me assusta.
Como saberei lidar com suas birras?
Como saberei entender seus sentimentos?
Como te farei entender que eu te amo, mesmo quando não concordar com o que você deseja pra sua vida?
E que muitas vezes não concordarei justamente por te amar?

Você será minha primeira filha.
A primeira - talvez a única - experiência de ser responsável por uma vida.
Será que eu ouvirei todos os teus choros?
Conseguirei atender a todas as suas necessidades?
Eu sei que não, isso é impossível, pequenina.
Será que você me perdoará por isso?

Filha, você é apenas um bebê no meu ventre e ainda é chamada de feto.
Logo será um bebê, uma pequenina recém nascida.
Depois minha menina.
Depois adolescente.
E mulher.

Mulheres, filha, são seres fortes.
Mulheres têm sensibilidade para muitas coisas que parecem ocultas aos homens.
Não sei porque isso acontece, talvez a gente seja ensinada a ser assim desde muito pequena.
Mulheres podem gerar outra vida dentro de si e isso é muito transformador.

Filha, você me transformou, me transforma a cada momento.
Quero que você saiba o quanto te amo.
Quero deixar registrado que te amo.
Agora você sente e aceita esse amor.
Logo você tentará compreendê-lo e desejo que, nesta ocasião, conheça essas palavras que escrevi hoje.
Quero que você entenda um pouco do que acontece aqui, dentro de mim, do meu coração...
Enquanto espero...

Escrito em 16 de maio de 2010, na véspera de completarmos 36 semanas de gestação.

6 comentários:

Fernanda Jolo disse...

Anne,
Que lindo texto! Sua filha vai amar e vai ler essa mensagem muitas e muitas vezes durante sua vida! Tenho certeza disso!!
Um beijo grande!
Fernanda Jolo

Anninha disse...

Ow, querida, obrigada! Escrevi esse texto com o coração, sabe? Chorando feito criança, toda boba, rsrsrs. É um misto de emoções que me dá a cada momento... ser mãe deve ser isso, né? Beijão!

Juliana disse...

Anne, que palavras lindas só poderiam ter vindo de um coração de mãe =)
Desejo que você e sua filha sejam as melhores amigas uma da outra.
Beijos daqui de Belém do Pará.
Juliana - comadre da Thayssa.

Anninha disse...

Tomara, Juliana! =) Beijos!!!

Louize disse...

Anne,
Que linda mensagem você conseguiu expressar...
Estou aqui aos soluços...
Sua filha, com certeza, é muito abençoada só em tê-la como mãe!
Sempre torço muito por você!
Um beijo grande!
Louize

Anninha disse...

Louize, obrigada! Que em breve o seu (ou sua) filhinho/a esteja abrigado/a em seu ventre, para que façam felizes um ao outro. Beijo grande!