Pesquisar este blog

sábado, 5 de março de 2011

Papinha's day

Tá, em casa de bebê com mais de seis meses e menos de um ano pode-se dizer que todo dia é dia de papinha (igual àquela música "todo dia era dia de índio", né? - affffffff, nada a ver!). Mas hoje é/foi papinha's day porque é/foi dia de preparar papinhas.

Ser mãe e trabalhar fora são coisas bem difíceis de conciliar. Eu achava que, por trabalhar muito perto de casa e ter horário de almoço integral pra família eu ira conseguir dar conta de fazer a comida de todos que moram nesse humilde lar todos os dias. Comida boa, em gostosinha, todo dia fresquinha. Ledo engano! Dá tempo nada! Chego em casa nenê quer colo, mamãe tá cansada, as vezes mal dá tempo de comer, ora se consigo preparar comida.

E aí, o que fazer? A solução pra mim foi congelar a comida da pequena (e comprar a minha e do marido, ¬¬). Faço a comidinha da minha filhota pra aproximadamente 20 a 30 dias. Claro que sempre que consigo um tempinho extra vou pra cozinha inventar algo fresquinho que ela goste, mas nem sempre dá, quase nunca pra falar a verdade.

Ok, tudo bem, essa crise eu já superei, rs. Agora vamos ao dia de hoje. Bem, eu vinha fazendo as papinhas da seguinte forma: cozinhava as carnes (separadamente, claro) com os temperos (tomate, cebola, essas coisinhas) e  os vegetais, cereais e cia eu cozinhava separadamente. Ficava, claro, tudo com gosto de cabo de guarda-chuva.  Depois eu saia fazendo as combinações, dava um trabalho impressionante! E estava bem difícil da pequena curtir. E assim mamãe se frustra, né? Afinal tanto tempo, dim-dim e carinho investidos para serem desperdiçados? Assim não pode, assim não dá!

Hoje mudei de estratégia. Resolvi selecionar algumas receitas e cozinhar a receita toda de uma vez, cada uma na sua panelinha, ficou pronto=mamãe congela, sacou? Fiz papinha de mandioquinha, de hortaliças, de mandioca, de beterraba, de ervilha e de frango com arroz (tipo canja). E que ninguém torça o nariz pra nenhuma delas, ficou tudo uma delícia! A de mandioca minha pequena comeu no jantar e bateu pratão, iupi! Ficou mesmo uma delícia e foi o meu jantar também.

Falando assim parece que foi tudo rápido e sem trabalho nenhum, mas não é bem assim não. Comecei no meio da tarde e terminei por volta das 21h. E com ajuda, viu? Nesse intervalo de tempo, claro, aquelas paradinhas básicas pra dar banho na bebê, limpar caquinha da bebê, dar frutinha da bebê, fazer bebê dormir, dar mamar pra bebê.

O grand finale é uma confissão: processei tudo no liquidificador. Prontofalei! Minha filha não curte outra textura, é sempre uma guerra pra ela comer com pedaços ou com a papinha amassada no garfo. Me rendi aos seus "caprichos" e cedi à textura da comida que, até então , era a preferida dela: papinha industrializada.

Antes que alguém #mejoguenacruz, ressalvo que ela não come Nestlé todo dia não (mesmo porque nem cabe no meu bolso). Mas toda vez que ela come, ama! Eu andava meio enciumada com isso, mas percebi que o problema das papinhas aqui de casa tinham a ver mais com textura do que com sabor, então agora tô relax. Ah, e eu tenho uma explicação para a preferência da minha pequenina: ela tem quase 8 meses e nenhum dentinho na boca. Eu até pensei que eles chegariam antes do que acontece comumente com os bebês, mas foi alarme falso.

Claro que vou estimular a mastigação, sei da importância disso, mas vou fazer com outros alimentos (por exemplo, as frutas ela aceita numa boa só amassadinhas, as vezes quer comer a fruta sozinha, um perigo porque mesmo sem dente a gengiva é forte e as vezes ela consegue extrair um pedação, rs). Mas por enquanto vou respeitar essa preferência dela, mês que vem eu tento de novo uma textura mais sólida.

Bem, estão lá as papinhas, devidamente colocadas no congelador, esperando o dia de serem consumidas. E ficaram deliciosas! Hummmm!

.

Update para os curiosos:
As papinhas! Ela adorou todos os sabores (e eu também).

3 comentários:

Liliane disse...

Fico me imaginando nessa situação, eu deixaria a cozinha uma verdadeira bagunça! kkkk
Como os bebês são diferentes né? Minha sobrinha com 6 meses já tinha 6 dentes e Isis com 8 sem nenhum, rs. Vai entender essas coisas! rs
Bjokas

Rose disse...

é issso aí Anne!

fico feliz que está dando tudo certo. Se sua filhota prefere mais processado, que seja feita a sua vontade.
O importante é que ela se alimente e sinta prazer nisso.
As vezes, eu acho que a gente lê demais, fica preocupada se não estamos atrapalhando o desenvolvimento dos nossos filhos e tentamos adiantar algumas coisas sendo que eles ainda não estão prontos. Siga seu coração sua intuição!
Vc é uma super mãe! Te admiro e respeito muito.
Amanha é meu dia de ir pra cozinha fazer papinha pra congelar.
Um grande beijo, Rose

Anninha disse...

Lili, e vc acha que não fica uma bagunça daquelas por aqui não? ashuahsuahs É, Isis segue banguelíssima! Quase 9 meses e nada!


Rose, obrigada pelo carinho. As vezes a gente precisa retroceder, dar uns passinhos pra trás... aí ganha impulso e pula beeeeem alto! rsrsrsrs